segunda-feira, 27 de junho de 2022
18.8 C
Vitória

Auxerrois, Pressac, Quercy, Plant du Lot, Côt!

Olá caro leitor, sexta-feira chegou e com ela mais uma coluna sobre a bebida do deus
Baco e Dionísio. Achou estranho, diferente, os nomes do título da coluna? Então,
vamos esclarecer o significado deles.

Estes são os nomes com os quais a uva Malbec era conhecida no velho mundo. Na
Idade Média a uva Malbec já era utilizada na produção de vinhos, lembrando que
nesse período da história ela era conhecida como Auxerrois, Pressac, Quercy, Plant Du
Lot e Côt. Esta casta é originária do sudoeste francês, da sub-região de Cahors, onde
ainda é conhecida como Côt, portanto, se o leitor encontrar um rótulo com este nome
saiba que se trata da uva mundialmente conhecida de todos nós como Malbec.

Os czares russos festejavam em seus palácios com vinhos da uva Malbec. A rainha
francesa, Eleanor da Aquitânia, em seus famosos jantares também servia vinhos desta
casta, mas, lembrando que nessa época a uva ainda não era conhecida como Malbec.

Ao contrário do que sabemos, a uva Malbec chegou primeiro no Chile, antes mesmo da
Filoxera, a praga que quase dizimou os vinhos mundo a fora. O governo chileno
convidou o francês, Michel Aimé Pouget (1821 – 1875), para desenvolver a indústria
vitivinícola no país andino. Neste encontro estava o argentino, Domingo Faustino
Sarmiento (1811 – 1888), quem levou a Malbec para a Argentina. E no dia 17/04/1853
foi inaugurado um novo centro de pesquisas da indústria vitivinícola argentina e seu
primeiro diretor foi Pouget. Por este motivo no dia 17 de abril é comemorado o
Malbec Day em todo o mundo, data que marcou a chegada oficial da uva Malbec na
Argentina.

Quinze anos mais tarde, exatamente em 17/04/1868, Sarmiento viria a ser eleito
presidente da Argentina. Será que teve influência seu trabalho em difundir a Malbec
no país? Hoje a Malbec é a uva emblemática da Argentina, responsável na elaboração
de vinhos aclamados naquele país e no mundo.

Depois deste breve histórico sobre a uva Malbec vamos falar de um vinho ícone,
Catena Zapata Malbec Argentino, da bodega de mesmo nome.

 

Este vinho tinto seco de cor vermelho rubi intenso, 100% da uva Malbec, teor alcoólico
de 14%, tem aromas de fruta em compota, geleia de frutas negras, defumação,
madeira, baunilha e especiarias. Paladar macio, mas encorpado, final prolongado,
persistente. Harmoniza-se perfeitamente com um bom churrasco de boi ou cordeiro
assado. Amadurecimento de 18 meses em barricas de carvalho francês. Melhor servir a
temperatura de 16ºC e 18ºC.

Estas são informações importantes do produtor, seguindo estas dicas apreciaremos uma bebida de qualidade e identificaremos todas as suas propriedades. James Suckling, renomado crítico de vinhos, classificou esta safra com 99 pontos, numa escala até 100.

Bom caro leitor, se você não for a Mendoza então deixe que Mendoza venha até você
através do vinho Catena Zapata Malbec Argentino safra 2019. O investimento valerá
cada taça degustada.

Até a próxima semana. Beba com moderação!

- Publicidade -

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -