sábado, 21 de maio de 2022
23.9 C
Vitória

Mulheres anônimas

Mulheres!

Então, vamos falar de coisas sérias!

Mal começa o ano e, ao correr do mês de março, fervilham eventos de vários tamanhos e estilos, assim como todos os olhares e comemorações estão voltados para o Dia Internacional da Mulher, por uma questão de simbolismo e demais significados referentes à luta de bravas mulheres, aguerridas e guerreiras que, acreditando em um ideal, deram causa à criação dessa significativa data.

Eu me coloco no patamar de mulheres anônimas, assim como tantos outros milhares que batalham diariamente pelo reconhecimento, respeito, credibilidade profissional. São milhares de ilustres desconhecidas espalhadas por várias regiões do mundo. Regiões essas onde a vida das mulheres tem maior ou menor importância, onde muitas das vezes perdem direitos fundamentais e são afastadas de seus filhos, onde suas vidas estão diariamente em perigo.

Aqui reiteramos o uso do termo MULHERES ANÔNIMAS! Exatamente por todos os motivos elencados acima, e muitos outros mais!

E por que insisto nesse termo?

Porque esses seres humanos anônimos são mulheres invisíveis, sem perspectiva de futuro, de saúde, de oportunidades, de segurança, de vida!

Muitas dessas mulheres estão impossibilitadas de expressar suas ideias, sem acesso a cultura, educação, sem poder sequer sonhar com a oportunidade de criar seus filhos e vê-los crescer longe da violência que arrebata vidas nas grandes cidades.

Diante desses fatos, eu me coloco no lugar dessas mulheres, na qualidade de filha, mãe, avó, profissional, referência para outras pessoas, de pessoas que criam e educam outras pessoas, que cuidam de seus ancestrais, mulheres que vivem suas batalhas diárias.

Com base nisso, trago aqui uma reflexão sobre o meu real sentimento e realização enquanto mulher e eterna guerreira.

Na qualidade de mulher privilegiada pela vida, posso afirmar que, mesmo tendo todos os recursos e possibilidades, eu também carrego cicatrizes e tenho minha história.

Obviamente, eu tive minhas dores e paguei o preço de ser mulher em um mundo tão mesquinho, desigual e cruel!

Porém, exatamente por ter recursos e possibilidades, fui apoiada, abraçada, abrigada em vários momentos em que precisei exercer o direito de ser mulher. Dessa forma, os momentos de dor, desdém, descrédito, foram sendo superados, cada um ao seu tempo e modo.

E, como reflexo disso, eu me pergunto:

O que são rugas?

Não seriam as linhas que demonstram o seu grau de preocupação e proteção com seus entes queridos? Não são as noites sem dormir preocupada com um filho febril?

Ou seriam as marcas da expressão de todos os sorrisos que você já deu para acolher um filho ou um neto e dizer a alguém o quanto o ama?

O que são varizes?

Não são os mapas que indicam as vidas que uma mulher já colocou no mundo? Quem irá agradecer a ela por esse feito espetacular?

Você conhece estrias?

Por acaso não é a impressão digital com suas marcas desse maravilhoso processo chamado popularmente de maternidade?

Você tem cabelos brancos?

Sim! Por que não?

Seria por acaso, um atestado de que você mulher anônima, colocou seres humanos no mundo, deu alimento, criou, educou e dedicou seu tempo para desenvolver seres humanos de melhor qualidade?

E ainda te explico melhor: sabe todos aqueles espinhos pelo caminho? A mulher vai retirando cada um e abrindo espaço para cultivar apenas as rosas!

Te atiraram pedras na construção desse seu caminho?

Uma mulher analisa como fazer para contornar a pedra, ou sobe nela para avistar do ponto mais alto onde está a oportunidade, sem tropeçar em nenhuma delas! Ou ainda, usando a racionalidade e utilizando essas pedras para construir suas pontes e fortalezas.

Problemas? Todo mundo tem!

O que diferencia uma história da outra é como você administra seus problemas, ou como romantiza suas agruras.

Afinal, cada um deve tentar curar suas feridas e superar as dificuldades.

Em que ponto é importante destacar isso ou faz sentido em relação a essa data?

Porque não podemos abdicar da obrigação de render homenagens a essas mulheres guerreiras que se sacrificaram por nós, porém, valorizando e homenageando não apenas o que somos, a casca, a capa. Mas, sobretudo, reconhecendo tudo o que fizemos nesse caminho construindo pessoas, dando suporte a outras pessoas para crescerem e se fazerem importantes em um cenário cruel de um mundo cada vez mais hostil!

E, se, hoje temos uma data a comemorar, não podemos esquecer delas! Mulheres que deram a vida por essa causa, que lutaram pelos direitos trabalhistas que eram negados às mulheres, em

busca de oportunidades iguais para todos, sem discriminação de gênero, raça, e outras formas de negação aos direitos.

Na verdade, o que devemos comemorar é resultado de tudo que elas fizeram, ideias que foram plantadas, e imposições que resultaram no fortalecimento das mulheres, de uma forma simbólica que resgate essa força da mulher guerreira.

E lembremos que, se hoje, podemos definir nossos caminhos, decidir o que desejamos ser ou fazer, essas nossas conquistas nos dão suporte para buscar atingir nossos objetivos, seguindo sempre o exemplo daquelas guerreiras que acreditaram ser possível colocar seus talentos em evidência, se fortalecendo em busca de superar os desafios impostos, independente da condição mulher.

Quem nunca derramou suas lágrimas?

Certamente todos nós! Afinal, somos seres humanos, emocionais e nossos sentimentos ficam mais aguçados, principalmente quando mexem com nossa família e nossos filhos. Mas as lágrimas jamais foram sinônimo de fragilidade! Apenas sensibilidade, amor ao próximo, emoção e sentimento puro!

Os aborrecimentos fazem parte do aprendizado e amadurecimento necessários.

E esses aborrecimentos nos causam as ditas rugas! Rugas? Eu tenho! E por que não?

Eu tenho orgulho delas porque são elas que contam melhor a minha história, sem necessidade de escolher palavras! Elas são as linhas da história de vida que eu construí até aqui!

Tudo que eu vivi e vivo, eu desejo que sirva de exemplo e motivação na construção dos caminhos de novas mulheres guerreiras, que sejam mães maravilhosas, excelentes filhas, avós queridas, seres de primeira grandeza, além de serem profissionais de excelência!

É só isso que se espera de uma mulher completa! Um ser em constante aperfeiçoamento!

É o que penso! É o que sinto!

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -